domingo, 17 de fevereiro de 2013

Sobre a #HollyBlueEyes

Foi lendo esse texto da Jana Rosa que eu pensei em escrever sobre a Holly - vou mencionar coisas que ela citou (embora ela fale de um cachorro no texto) mas eu quero mesmo é falar de como a Holly mudou a minha vida <3 SÉRIO! :)

(Obs: todas as fotos neste post foram publicadas no meu Instagram ou de algum amigo e não estão em ordem cronológica)

Vamos ao drama: eu sempre quis ter um animal de estimação, mas era uma coisa 100% improvável porque meus pais nunca gostaram, então era só um sonho [incluir trilha sonora dramática] até que eu saí de casa RÁ
mas a república era em uma casa muito "aberta" com quintal e ainda tinha 2 cachorros então não rolou, até que eu e o Bê (namorado) nos mudamos para um apartamento e em menos de um mês eu já tinha adotado um gatinho *-* O filhote é da gata da Jana @Bonadimonster, assim que ela postou a foto da ninhada eu já apontei qual eu queria e contava os dias até poder ir buscar. Comprei mil coisas pra ela, colocamos tela no apartamento inteiro e aí ela chegou assim bem pequenininha e toda assustadinha ><

Foi difícil escolher o nome, era Miu Miu, Ágata, Antonieta, Colette, Audrey, Frida... e acabou ficando Holly e, quando percebemos esse olhão azul, veio a hashtag #HollyBlueEyes onde dá pra ver todas as fotos dela no Instagram. Eu faço fotos e vídeos de tudo que ela faz kjfadskfhakj e (tento) me controlar para não postar todas!



Ah! Sobre a Pretinha (cadelinha do Bê), nossa grande preocupação era sobre a convivência das duas. Nos primeiros dias a Preta ficou curiosíssima sobre a Holly toda pequena e às vezes ela latia e eu saia correndo achando que ela tinha comido a Holly kashdkjfahfkjahdk mas era que a Holly deitava na caminha dela e ela ficava sem saber o que fazer e saia da caminha hahaha mas depois as duas passaram a dormir juntas e a Pretinha virou mãe dela <3

Ter um gato é muito diferente do que dizem - que eles são frios e tal - desde pequena a Holly chega do lado da minha cadeira, quando estou trabalhando no escritório, e fica miando até eu pegá-la no colo. Quando ela começou a crescer e brincar foi a parte mais gostosa, ela brincava com tudo que encontrava (eu não saio do pet shop sem ao menos uma bolinha pra ela - os preferidos dela são as bolinhas) e de repente tudo vira brinquedo, até as coisas que você joga fora, aliás, eles adoram embalagens.


Claro que nem tudo é uma maravilha, principalmente quando eles são pequenos e ainda não aprenderam a usar a caixa de areia e fazem as necessidades nos lugares mais improváveis tipo no cantinho atrás da estante que você quase não alcança e mal enxerga alguma coisa (é, já aconteceu) ou na sua cama quando você acabou de trocar os lençóis (é, isso também) e, se você tiver plantas, pode ser que eles gostem de destruí-las (sorry, Be!) mas eles vão fazer a carinha mais fofa e você vai continuar amando-os muito <3


Ah, e sabe aquelas rodinhas que você sempre fica excluída? Tipo, tem a rodinha da novela, dos hipsters, dos que curtem BBB, etc. Também tem a rodinha dos donos de gatos e é todo um universo em que vocês falam sobre as fofurices, os dramas, trocam dicas sobre o melhor tipo de areia enfim, é um novo círculo social, dá pra fazer amigos até no pet shop - inclusive, seja BFF de um veterinário, vai que, né? Outra vantagem são os amigos que nunca vão te visitar e de repente aparecem só para conhecer seu filhotinho super fofo.


Viajar, sair de casa, nada disso é tão fácil porque você vai sentir saudade. O wallpaper do meu celular é essa carinha meiga dela (embora ela seja um demoninho às vezes) e já rolou até Facetime hehe
Ah, eu sou contra comprar animais de raça, assim como eu adotei a Holly, tem outros gatinhos e cachorrinhos procurando um lar. A Pretinha também foi adotada em um abrigo e sempre vai ter algum animalzinho abandonado querendo amor <3 Se você se comoveu com a minha história rs procure um desses lugares para fazer (e ser) feliz com um bichinho!


O melhor nessa história toda foi ver o quanto eu mudei, acho que passei a ser menos egoísta para me dedicar a um ser que (mesmo tendo fama de ser independente) precisa de mim para dar comida, limpar o banheirinho, cortar as unhas, dar vacinha e, entre outras mil responsabilidades, dar (e receber) muito amor! Eu realmente acho que me tornei uma pesssoa melhor e mais feliz depois da Holly.


(:
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...